top of page
  • Foto do escritorNova Amargosa FM

Integrantes do MST invadem escritório de empresa no Vale do Jiquiriçá


Cerca de 300 famílias pertencentes ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) invadiram, nesta terça-feira (2), o escritório da Companhia de Ferro Ligas da Bahia (Ferbasa), na cidade de Maracás, a cerca de 350 km de Salvador.

Segundo o MST, a ação é uma forma de denunciar e pressionar a empresa para cumprir leis ambientais, sociais e efetivar um diálogo com as famílias do movimento, junto ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), além de chamar a atenção para a questão da reforma agrária no Brasil.


Por meio de nota, a Ferbasa disse ainda que tem mantido diálogo com o MST e que a reforma agrária é um assunto que envolve diversos atores e não pode ser resolvido somente pela empresa.


O MST alega que desde 2016 denuncia irregularidades realizadas pela Ferbasa, que seria responsável pela criação de desertos verdes na região da Chapada Diamantina. O movimento disse ainda que a Ferbasa realizou um acordo, em 2017, para ceder uma área que assentaria famílias na região, mas o acordo não foi cumprido.

Os manifestantes afirmaram que a invasão é por tempo indeterminado e só sairão da área ocupada depois que forem suspensas as reintegrações de posse de dois acampamentos ameaçados, além de efetivar uma reunião entre a Ferbasa, Incra e o Governo da Bahia. Não há detalhes da localização dos acampamentos citados.


Confira nota da Febrasa

”A FERBASA, única produtora integrada de ferrocromo das Américas e reconhecida por sua forte atuação socioambiental, acredita no pleno funcionamento do Estado Democrático de Direito, nos seus valores éticos e no respeito aos compromissos, atuando de forma rígida quanto à observância das leis e regulamentos e em prol do progresso socioeconômico das regiões onde atua.

No tocante às invasões, a Companhia novamente reafirma que tem mantido diálogo com o Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra – MST, com a finalidade de resolver a questão em definitivo. Todavia, vale ressaltar que a Reforma Agrária é um assunto que envolve diversos atores, dentre eles o Poder Público e o próprio Movimento, razão pela qual não pode ser resolvido tempestiva e unilateralmente pela FERBASA.

Adicionalmente, a FERBASA rechaça veementemente a invasão da sua sede administrativa no município de Maracás, pois acredita que as negociações podem ser mantidas de forma pacífica e ordeira. Da mesma forma, manifesta preocupação em relação aos seus colaboradores, que ora estão impedidos de realizar suas atividades laborais”.

14 visualizações0 comentário

Opmerkingen


bottom of page