top of page
  • Foto do escritorNova Amargosa FM

Barracas de fogos são fiscalizadas pelo Procon em Amargosa


Nesta terça-feira, dia 20, o Procon-Ba (Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor) intensificou as ações da Operação “Em Chamas 2023” em cidades do interior do estado. Nove barracas de fogos foram vistoriadas nos municípios de Amargosa e Cruz das Almas, tradicionais na fabricação e venda de fogos. A operação visa garantir a segurança e prevenir a comercialização de produtos inadequados ao consumo para evitar danos e prejuízos à integridade física dos consumidores no período das festas juninas.


Em Amargosa, a equipe do Procon-BA fiscalizou quatro (4) barracas de fogos, localizadas no Parque de Exposições. No local, foram encontrados diversos produtos impróprios para o consumo (artesanais e sem procedência) e com dupla informação relacionada à data de validade. Os donos dos estabelecimentos receberam orientações sobre a comercialização dos produtos e exemplares do Código de Defesa do Consumidor (CDC).


Já em Cruz das Almas, de cinco (05) barracas de fogos fiscalizadas, duas apresentaram produtos vencidos, sem procedência e com etiqueta sobreposta (produto com dupla informação sobre data de validade). “Sendo estendida para os municípios do Recôncavo, a fiscalização do Procon- BA amplia o direito do consumidor, garante a segurança do mercado de consumo, evitando acidentes, para que o consumidor baiano possa aproveitar o São João nessas cidades com tranquilidade”, afirmou o diretor de Fiscalização do Procon-BA, Iratan Vilas Boas. Na segunda-feira (19), a operação fiscalizou 10 barracas de fogos, localizadas em Santo Antônio de Jesus, Sapeaçu e Feira de Santana.


A Operação Em Chamas 2023 conta com a participação da Polícia Civil, do Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade (Ibametro), Departamento de Polícia Técnica (DPT), da Polícia Militar da Bahia (PMBA), do Corpo de Bombeiros Militar (CBMBA), do Exército Brasileiro, a Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) e de Lauro de Freitas, a Diretoria de Ações de Proteção e Defesa do Consumidor (Codecon) e o Ministério Público do Estado da Bahia (MPBA).

Ascom

75 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page