top of page
  • Foto do escritorNova Amargosa FM

Apreensão de 9 adolescentes em 48 horas na Bahia põe escolas em alerta


Ao menos nove adolescentes já foram apreendidos pela Polícia Civil em Salvador e no interior do estado por possível envolvimento e propagação de ameaças de ataques contra escolas. Nessa terça-feira (11), durante a Operação Escola Segura, desenvolvida para prevenir e reprimir ataques nas instituições de ensino em todo o país, equipes da Polícia Civil apreenderam cinco adolescentes em Juazeiro, Iaçu, Maiquinique, Paratinga e Itapetinga. Outros quatro confirmados pela pasta foram apreendidos nos municípios de Salvador, Ituberá, Vitória da Conquista e Itarantim na segunda-feira (10).


De acordo com Delmar Bittencourt, coordenador do Laboratório de Inteligência Cibernética da Polícia Civil (Cyberlab), é possível que o número de apreensões seja ainda maior. “Tem outros casos, mas ainda não compilamos os dados de hoje [ontem]. A quem está disseminando boatos de ataque nós estamos levando busca e apreensão nas residências e levando a unidade da polícia para analisar qual é o teor da mensagem e responsabilizar pelo crime praticado”, afirma o delegado.

Por conta das ameaças e ataques pelo país, as escolas, em Salvador, estão se mobilizando para reforçar a segurança dentro e fora das suas dependências. O Colégio Oficina, na Pituba, fez um comunicado relatando aos pais e alunos que deu início ao contato com a Polícia Militar para reforçar a necessidade de ampliação da Ronda Escolar. O colégio já conta com sistema interno de câmeras, catracas de identificação de acesso por biometria e grupo de brigadistas treinados para emergências, que, inclusive, foi reforçado.


Já o Colégio Antônio Vieira, no Garcia, acionou o Comitê Interno de Gerenciamento de Riscos e anunciou a ampliação das medidas gerais de segurança, como diálogos com as autoridades de segurança estaduais, maior controle de acessos, requalificação das barreiras físicas e reforço do treinamento da equipe de segurança.

Em comunicado, o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado da Bahia (Sinepe-BA) indicou que vem propondo maior atenção aos humores e comportamentos atípicos de pessoas da comunidade escolar e orientou que todos tenham em mãos o telefone do Samu (192), Polícia Militar (190), Ronda Escolar e Corpo de Bombeiro (193) e identificação daqueles que acessam a instituição de ensino. Incentivou ainda o diálogo e a manutenção dos portões fechados nas unidades.

Sem dispor dos mesmos recursos de segurança, as escolas da rede estadual tiveram o policiamento reforçado em alguns locais do estado, como Porto Seguro e a capital, para assegurar a entrada e saída de alunos, pais e professores.

Em Lauro de Freitas, na região metropolitana, a Secretaria Municipal de Educação solicitou apoio à Guarda Municipal e à Polícia Militar para averiguar boatos e aumentar a segurança nas escolas. A medida conta com a disponibilização do efetivo da ronda escolar em um plano de ação preventiva. Segundo a Prefeitura, ainda é estudada a possibilidade de implementação de uma força-tarefa e segurança nas escolas públicas e privadas do município.


Monitoramento Para realizar o controle de ameaças de ataques contra escolas, a Polícia Civil está trabalhando junto ao Ministério da Justiça e à Secretaria de Segurança Pública (SSP) para fazer buscas nas redes sociais e checagem de denúncias. Até o momento, no entanto, não há estimativa de quantas denúncias foram feitas ou quantos boatos foram analisados.

Segundo o delegado Delmar Bittencourt, o processo de monitoramento de possíveis suspeitos começa quando a Polícia Civil recebe a informação de ameaça. A partir daí, as equipes fazem um filtro para saber se o compartilhamento é da Bahia ou de outro estado.

“Se for na Bahia, analisamos todas as características e, se entendermos que é necessário dar seguimento às investigações, em um trabalho de inteligência maior, nós chegamos até os autores”, detalha.

Quem estiver encaminhando informações falsas com intenção suspeita de cometer crime é identificado e a Polícia Civil pode fazer busca e apreensão para localizar armas, apreender dispositivos e verificar se há uma rede por trás das ameaças.

Fonte: Correio24horas.

105 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page